Mostrando postagens com marcador Poesia. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Poesia. Mostrar todas as postagens

DESTINO MENINO - Poesia

 Todo minuto é momento

Um invento, um sentido,

Por fora, por dentro,

É cada segundo, sem tempo,

É quase nada no vento

 

A vida são horas correndo

e se existe ou não um destino,

Ele é só um menino 

                                        que não sabe onde ir

 

A verdade é que nada se sabe,

Se é do errado que se chega ao certo,

Se é para frente, para trás ou para os lados,

Porque não tem lado certo, nem errado

Não tem nem em cima, 

                                            nem embaixo

 

E os minutos continuam correndo,

E a gente sempre mais lentos,

Sem saber para que andar

Já que é o tempo que nos carrega

Até onde quiser nos levar

 

Se puder, que me leve 

                                em qualquer pé de vento

Para um tempo que seja de amar.

– Edmir Saint-Clair


Para comprar clique aqui

Gostou?  👇  Compartilhe com seus amigos


UM OUTRO MUNDO – Poesia

 

Enquanto a noite amanhece lenta

Nossos Corpos se reconhecem quentes

Revelando mundos

 Que afinal se entendem

Muito, todo, tudo

Sangue trocando de veia,

Renascendo dentro de um mundo à parte

Construído pela arte que só o amor sabe fazer

Onde a alegria manda, onde o desejo ganha

Onde o tocar das bocas é a fala mais urgente

Um mundo além do mundo

Um mundo além do sonho

Um mundo além da gente

Porque ao sonho faltam

a tua carne, as tuas unhas e os teus dentes.

- Edmir Saint-Clair

Gostou?  👇  Compartilhe com seus amigos

ERA TUDO MENTIRA - Poesia

 

Voava e tinha capa esvoaçante,

Seu cavalo era negro como a noite,

Morava no castelo onde seu pai era um rei

 

A mãe era a mais bondosa de todas

E o amava mais que tudo, ele era o preferido

 

Seus irmãos viviam todas as suas aventuras,

Eram os personagens principais de todos os contos,

Nascidos para serem heróis, como ele.

Mas, era tudo mentira.


- Edmir Saint-Clair

Gostou?  👇  Compartilhe com seus amigos

GENTE - Poesia

 

Gente, quente, pulsante ser

Tanto quanto o tudo pode conter,

Sexo, nexo, complexo viver.

 

Gente é preto, é branco, é pranto,

Que escorre e salga o susto de viver

Sem saber, é tudo, é nada,

É pouco, é muito, é meio, é canto

Pode tudo o que quer ser.

 

Gente é dia, é noite, é jeito de viver,

É parte da brisa, do movimento do ar,

Do mar, do sol, do riso, do olho de prazer,

Sempre buscando, desejando, querendo,

 Tanto quanto mais gente puder ser.

 

Gente é vida, é morte, é sorte sem saber

É tudo, é tato, é vôo da ilusão,

É simples, é nada, e nem precisa ser.

- Edmir Saint-Clair

Gostou?  👇  Compartilhe com seus amigos

RECOMEÇAR - Poesia

 

O passo difícil, hesitante

Um passo maior que o instante


Maior que todas as


 distâncias


Recomeçar sem ter para onde ir

                                   Porque ontem é um lugar

                                                   Para onde não se pode voltar


Por instinto caminhando, procurando atalhos

Bebendo água no gargalo,                                                                                             errante


Recomeçar; um movimento constante

Porque há sempre um fim em cada instante

                                            Mas também o minuto avante

Que transforma tudo  

                             em novo instante.

                                                               Sempre.

- Edmir Saint-Clair




Gostou?  👇  Compartilhe com seus amigos



SE SOUBÉSSEMOS SER ETERNOS

Gostou?  👇  Compartilhe com seus amigos

UMA LÁGRIMA SÓ NÃO BASTA - Poesia

 

Por todos os amores perdidos

Por todos os sonhos abandonados

Por todas as manhãs desperdiçadas

Por todas as noites mal dormidas

Por todos os risos que não demos

Por toda essa saudade que me mata

Por todo esse deserto que me resta

Por toda essa gente que faz falta

Porque nunca mais é muito tempo.

- Edmir Saint-Clair

A ARTE DO TEMPO - Poesia

 


Sempre estivemos presos, sempre cada um em si

Faz parte da nossa história

Presos às imagens, rótulos, marcas da futilidade

Da vida baldia que foge de si

Da inutilidade que não faz sentido, do que não tem alma

Aconchego real são os outros, abraços trocados

São toques, são risos, são cheiros,

É o calor de janeiro bronzeado na pele

São muitas coisas ao mesmo tempo

Multiplicando o tempo em arte

Que é tudo que nos resta fazer

Porque o resto é o nada mais

O nada, a única coisa na qual nos transformaremos

É isso que o tempo nos joga de volta na cara

Nós mesmos, mal passados, atados, marcados

Como os dedos do tapa que nunca mais sai

Que entranha, esculpindo sulcos na dura face

Expondo a arte que só o tempo é capaz inventar.

  – Edmir Saint-Clair


IDENTIDADE - Poesia

 

Tudo que já fui, sou

Sou também o que desejei ser,

                               E não fui

De outro jeito não seria eu

De outro jeito não sou, nem eu, nem outro,

        Nem o que pensei ser, nem o que fui

Para estar aqui precisei ser tudo que já fui,

E o que precisei não ser,

                        Tanto para mim como para os outros,

Porque o outro é o limite do eu

                                               Um não existe sem o outro

Para ter ontem é preciso que seja hoje

                               O único que realmente existe

Porque amanhã é tudo que não sei,

E precisa de mim para acontecer,

Porque meu amanhã não existirá se eu me perder

de quem sou.

                                                      

 – Edmir Saint-Clair

Gostou?  👇  Compartilhe com seus amigos

CANSAÇO - Poesia

Baixei armas ao chão, onde já me sinto,

Pesa demais esse arsenal que me protege,

Desabotoei meu colete à prova de gente,

Porque não há mais gente a minha volta, 

                                                          e sem gente não há dor,

Descalcei as grossas botas que me afastam da areia

Da minha praia

Deitei escudos, blindagens e artifícios dos meus medos,

                        E, finalmente, chorei,

                                                Liberto de vencer.


- Edmir Saint-Clair




















Gostou?  👇  Compartilhe com seus amigos

O GRANDE AMOR

 

Te conheço, antes de te conhecer, em meus sonhos. Seu olhar me hipnotiza, misturando carinho, tesão e querer bem, em doses precisas, traduzindo perfeitamente o amor. Tua respiração é mágica e me transforma em desejo. És sempre feita de tudo, um pouco de carne, um pouco de veludo, um raio de sol, um raio de lua, transformando cada momento no momento mais desejado. É forte, me protege das angústias de viver. Em meus braços és sábia, sabendo fazer-me teu refúgio, deixando-me protegê-la. Tua força faz-me sentir forte e tuas fraquezas me dão a oportunidade de compreender as minhas.

Me faz acreditar em mim. Te admiro e tua admiração por mim é fonte inesgotável de satisfação. Teus sorrisos me deixam como se eu gostasse mais de mim, do sol, das manhãs. Você entra nos meus sonhos, como um balde de tintas, de todas as cores, para me colorir, para saber meus segredos, como o sol que desvenda as manhãs.

Te procuro sempre e, por vezes, te encontro. E, te amo profundamente, sou feliz.

Mas, de repente, vais embora sem me avisar, para depois reaparecer, de novo perfeita e cada vez diferente. E tenho que te descobrir de novo. Teu outro nome, teu outro corpo, teus outros cabelos. E, durante algum tempo, permaneces ao meu lado e somos felizes, até desapareceres de novo.

Amei todos os teus nomes, todos os teus sorrisos e todas as tuas vozes.

Só desejo que, da próxima vez que nos encontrarmos, venhas com teu nome, voz e sonhos definitivos. Não suporto mais te perder.   

 - Edmir Saint-Clair

 Gostou?  👇  Compartilhe com seus amigos

FÉ NO MEDO? - Poesia

De quem é essa culpa pairando sobre todos,

O tempo todo,

Esse medo que transcende a vida,

Pronto para esmagar ao primeiro sinal da cruz

 Que tristeza é essa?

Por trás da beleza de todo por do sol

De uma música mais linda

De onde vem essa melancolia transcedental,

 Que precisa de um carnaval para não ser

Mas, que morre a cada quarta-feira, em cinzas.

Fé no medo...

_ Edmir Saint-Clair

NOSSOS ENCONTROS

 

Ela sempre me espera em absoluto silêncio.

Ao sentir minha presença, sua respiração torna-se mais intensa. Minha pulsação aumenta, torna a respiração quase difícil. A saudade aflora. Me aproximo devagar,  me aconchegando em seu corpo, sem tocá-la. Nada mais excitante do que o tocar sem tocar.

O toque anterior ao toque. As sutilezas são a essência do prazer. Não a toco, apenas contorno seu rosto com o meu a nanomilímetros de sua pele, sem tocá-la, afasto seus cabelos com o nariz, até alcançar o pescoço. Sentir seu hálito faz meu cérebro funcionar em outra sintonia, sensibilidade muito além da flor da pele.

As sensações do tato, olfato, paladar e audição se misturam e se transformam. Cheiros, sons, texturas, ânima animal. A fome. Muita fome de você.

Esse aproximar e tocar dos corpos faz desaparecer o espaço entre eles, alma engolindo alma, corpo devorando corpo. Só o teu prazer me alimenta. Só o teu prazer me sacia. Luta feroz. Meu prazer é te levar à pequenas mortes. Sua fome animal diz que vamos morrer, já sabemos disso. E morremos. Colados, um quebra-cabeças montado.

Nossos encontros são assim.

 - Edmir Saint-Clair

 Gostou?  👇  Compartilhe com seus amigos

SALTO NO INSANO



Amor, veneno lento,
Veneno bento, amor
Salto no insano, humano
Imenso, sem fundo, sem teto,
Sem nexo

De onde vem essa falta?
Onde se perdeu esse pedaço
Que nunca houve
Esse encaixe que não existe, mas que persiste
 Como peça no jogo de outro
Peça solta para a vida pregar

Entre sonhos e sedas, poesias e versos
Cheiros e hormônios fantasiam os gestos
Encaixes perfeitos, delícias humanas
Matam os deuses que nunca seremos.

- Edmir Saint-Clair

Gostou?  👇  Compartilhe com seus amigos

SE AFOGAR COMPLETAMENTE - Poesia

 

Apesar de chegar até aqui, não sou guerreiro,

Nunca quis estar em guerras, nunca quis lutar batalhas,

Para mim, todas são vãs e burras.


Apesar de portar sorrisos, não sou vencedor,

Nunca quis competir, nunca quis derrotar alguém,

Para mim, a única luta saudável é para ser melhor 

                                                                          do que já fui

 

Apesar de não ser solitário, aprendi que não tenho ninguém,

Nunca quis ter, porque sempre soube que é a liberdade de ir                                                            que dá significado ao ficar,

Nada é garantido, nada é possuído, ninguém é obrigado 

                                                                a fazer o meu sentido.


Assim, a mágica de amar e ser amado acontece, 

sem regras, sem leis; um acaso,

Com toda liquidez 

                        da acontecência, com toda fluidez 

                                                                         do imponderável,

Sem nada que oriente, sem nada que limite,  

como água corrente sem margem,

Para se mergulhar inteiros, se envolver com a vida 

                                                        e se afogar completamente.

 – Edmir Saint-Clair

SEMPRE

 Felicidade é passo a passo, dia a dia. 

De dentro pra fora. 

Se aprendendo, se aceitando, se fazendo

Se corrigindo, se desfazendo, se reconstruindo

Indo à frente e voltando se preciso, 

mas sempre andando pra sempre

Sendo feliz quando é possível, vivendo triste se necessário

Mas sempre vivendo o sempre.

- Edmir Saint-Clair



LIVROS DO AUTOR - Clique para comprar

LIVROS DO AUTOR - Clique para comprar
À VENDA NA: AMAZON - AMERICANAS - CULTURA - MERCADO LIVRE - ESTANTE VIRTUAL - SUBMARINO

MADHAI - Compras Interessantes, Preços também

MADHAI - Compras Interessantes, Preços também
Todos os produtos da loja MAGALU em até 12 X.

COMPARTILHE COM SEUS AMIGOS